segunda-feira, 25 de abril de 2016

Grupo se mobiliza e abre canais para revitalizar a Lagoa do Portinho

Grupo custeou por conta própria a abertura do canal (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)
Inconformados com a degradação da Lagoa do Portinho, um grupo composto por três amigos resolveu agir para revitalizar um dos pontos turísticos mais conhecidos do litoral piauiense. O reservatório quase secou em 2015 devido a seca e possíveis obstruções dos canais que o ligam com o rio Portinho. Após o poder público nada fazer sobre o fato, o grupo resolveu por conta própria abrir os canais que levam água para o local.

O engenheiro de pesca Almir Rocha Carvalho foi um dos idealizadores da iniciativa, juntamente com o advogado Tibério Nunes e o empresário Carlos Augusto. Almir afirma que havia um projeto do governo para desobstruir os canais e permitir que a água chegasse até a lagoa, mas como ele nunca foi executado o grupo resolveu colocar a mão na massa. De acordo com ele, a iniciativa conta com o apoio apenas de pessoas do segmento privado
Amigos conseguiram licença junto a Semar para relizar intervenção na Lagoa do Portinho, no Piauí (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)"Como o projeto nunca saiu nós resolvemos começar por conta própria e interligamos o rio com a Lagoa. E tudo sem nenhum tipo de apoio de governo. Conseguimos a licença com a Secretaria de Meio Ambiente do Estado (Semar), em Teresina, e estamos há uns 40 dias trabalhando. Fazemos isso porque amamos a Lagoa do Portinho e contamos com a ajuda de outras pessoas doam alguma quantia em dinheiro", contou.
Ainda conforme Almir, os resultados da iniciativa já são visíveis e o cenário da Lagoa do Portinho é completamente diferente após a desobstrução das veias que abastecem o manancial. Ele conta que mesmo sem chover muito na região, a lagoa passou a receber bastante água e já está com outra cara.
"Hoje já podemos ver a nossa Lagoa do Portinho com bastante água. Posso garantir que isso é uma coisa muito linda e estamos fazendo um esforço violento por amor a lagoa. Moro em Parnaíba desde os anos 1980 e desde que cheguei aqui passei a amar a Lagoa do Portinho", falou o engenheiro.
Canais levam água para a Lagoa do Portinho, no litoral do Piauí (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)Semar louvou iniciativa dos amigos de ajudar a Lagoa do Portinho, no Piauí (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)
Procurado pelo G1, o superintendente de Meio Ambiente da Semar, Carlos Moura Fé, classificou a atitude dos três amigos como louvável, pois a lagoa já recebeu bastante água após a intervenção. Segundo ele, foram concedidas duas autorizações para que eles fizessem as dosobstruções na região da lagoa.
Semar louvou iniciativa dos amigos de ajudar a Lagoa do Portinho, no Piauí (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)Semar louvou iniciativa dos amigos de ajudar
lagoa (Foto: Tibério Nunes/Arquivo Pessoal)
"Não é comum uma iniciativa dessas partir de particulares. Foram dadas duas autorizações: uma para a abertura de um canal de 200 metros da calha do rio Portinho até a lagoa, que havia sido obstruído pelas dunas, e outra para abrir pequenos canais para liberar água da chuva de lagoas menores até o espelho d'água principal na lagoa do Portinho", falou.
De acordo com o superintendente, as autorizações são provisórias e uma delas foi concedida para aproveitar as marés que ocorrem nesse período do ano. Carlos Moura Fé admitiu que se dependesse do estado a realização do serviço levaria mais tempo. "Como o estado não tinha um projeto para agora eles resolveram pedir autorização. Se fosse esperar o governo ia demandar mais tempo, porque tinha que fazer licitação e demoraria mais", falou.  
Degradação da lagoa
Essa não é a primeira vez que moradores da cidade se mobilizam em prol da Lagoa do Portinho. Em dezembro de 2014, estudantes do campus de Parnaíba da Universidade Federal do Piauí (UFPI) realizaram um ato público em defesa do local. Professores da instituição também deram apoio ao movimento.
A situação da Lagoa do Portinho se agravou nos últimos anos e até hoje preocupa turistas, admiradores e comerciantes. A falta de chuvas é apontada como a principal causa do assoreamento, mas os desvios de água feitos com a obstrução de alguns braços que levam água até o local também são denunciados como motivo para o agravamento da situação.
O assunto também já foi tema de audiência pública na Câmara de Vereadores de Parnaíba em 2015. Durante a reunião foi denunciada a construção de pequenas barragens que impedem que a água chegue até a lagoa.
Fonte:G1



Nenhum comentário:

Postar um comentário