quinta-feira, 20 de abril de 2017

Veja simulações da aposentadoria com as mudanças feitas pelo relator

Texto do relator prevê idade mínima progressiva até chegar a regra geral, de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens.


Simulações feitas a pedido do G1 mostram como vai ficar a aposentadoria e o valor 
do benefício caso seja aprovada a proposta do relator da reforma da Previdência, 
deputado Arthur Maia (PPS-BA), apresentada nesta quarta-feira (19) na comissão
especial da Câmara.

As simulações mostram que caso a proposta do relator seja aprovada, o brasileiro 
tende a se aposentar mais tarde e também a ter de contribuir por mais tempo para 
conseguir o valor de benefício integral. Em alguns casos, entretanto, o valor da 
aposentadoria pode ficar maior em relação às regras atuais. Veja abaixo 6 exemplos
O relator flexibilizou uma série de pontos da proposta original apresentada pelo 
governo, além de alterar as regras de idade mínima, de transição e cálculo do 
benefício.

Pela nova proposta, a idade mínima será progressiva para a aposentadoria de 
homens e mulheres. Começará em 53 anos para mulheres e 55 anos para os 
homens e será elevada gradativamente para 62 anos, no caso das mulheres, 
e 65 anos, no caso dos homens. Já a regra de transição valerá para todas 
as pessoas e será aplicada até 2036, para as mulheres, e até 2038, para os 
homens.

O relator também propôs uma mudança no cálculo do valor das aposentadorias. 
O benefício mínimo será de 70% da média de todos os salários desde 1994, 
acrescido de 1,5 ponto percentual a cada ano que superar 25 anos de tempo 
de contribuição, ou de 2 pontos percentuais para cada ano que superar 30 
anos de tempo de contribuição, e de 2,5 ponto para cada ano acima de 35 
anos de contribuição, podendo chegar aos 100% com 40 anos de contribuição.


Veja abaixo simulações do tempo necessário para ter direito à aposentadoria 
e ao benefício integral pelas regras atuais e caso a proposta da reforma da 
Previdência seja aprovada.

As simulações foram feitas por João Badari, advogado especialista em Direito
 Previdenciário e Jane Berwager, presidente do Instituto Brasileiro de Direito 
Previdenciário (IBDP). Os casos consideram trabalhadores da iniciativa 
privada, que entram no regime geral (RGPS).

EXEMPLO 1

  • Mulher, 43 anos
  • Tempo atual de contribuição: 25 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 2.000
Quando pode se aposentar pela regra atual:
Em 2022, com 48 anos e 30 anos de contribuição. Receberia 
R$ 1.080,60 (fator previdenciário de 0,5403).
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo relator?
Em 2028, com 54 anos e 31,5 anos de contribuição. Receberia R$ 1.590 
(coeficiente de 79,5% nos moldes da regra de transição).
Neste caso seria necessário que a segurada atingisse a idade mínima 
para se aposentar na regra de transição (53 anos), e a necessidade 
de "pagar" o pedágio de 30% sobre o tempo que faltava para 
completar 30 anos na regra atual.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela 
regra atual?
Em 2028, com 54 anos e 36 anos de contribuição.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pelo relator?
Em 2036, com 62 anos de idade e 40 anos de contribuição (aos 58 anos, 
já poderá somar 40 anos de contribuição, mas ainda não terá atingido a 
idade minima).

EXEMPLO 2

  • Homem, 42 anos
  • Tempo atual de contribuição: 18 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 3.000

Quando pode se aposentar pela regra atual?
Em 2034, com 59 anos e 35 anos de contribuição. Receberia R$ 2.414 
(fator previdenciário de 0,8047).
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo relator?
Em 2040, com 65 anos. Receberia R$ 2.100 (com contribuição mínima 
de 25 anos).
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra atual?
Em 2035, com 60 anos.
Quando de aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
proposta pelo relator?
2040, com 65 anos.

EXEMPLO 3

  • Homem, 35 anos
  • Tempo atual de contribuição: 12 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 2.500
Quando pode se aposentar pela regra atual?
Em 2040, com 58 anos e 35 anos de contribuição. Receberia R$ 1.932,50 
(fator previdenciário de 0,7730).
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo relator?
Em 2047, com 65 anos e 25 anos de contribuição. Receberia R$ 1.750 
(com a contribuição mínima).
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
atual?
Em 2047, com 65 anos.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
proposta pelo relator?
Em 2047, com 65 anos (aos 63 anos, já poderá somar 40 anos de 
contribuição, mas ainda não terá atingido a idade mínima).

EXEMPLO 4

  • Mulher, 30 anos
  • Tempo atual de contribuição: 10 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 1.500
Quando pode se aposentar pela regra atual?
Em 2037, com 50 anos e 30 anos de contribuição. Receberia 1 salário
mínimo, hoje em R$ 937. (a aplicação do fator previdenciário resultaria 
em um valor abaixo do salario mínimo).
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo relator?
Em 2043, com 56 anos e 36 anos de contribuição. Receberia R$ 1.350 
(coeficiente de 90% nos moldes da regra de transição).
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela 
regra atual?
Em 2042, com 55 anos.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
proposta pelo relator?
Em 2049, com 62 anos (aos 60 anos, já poderá somar 40 anos de 
contribuição, mas ainda não terá atingido a idade mínima).
EXEMPLO 5
  • Mulher, 50 anos
  • Tempo atual de contribuição: 20 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 3.000
Quando pode se aposentar pela regra atual?
Em 2027, com 60 anos e 30 anos de contribuição. 
Receberia o valor integral (R$ 3.000) por cumprir a regra 90/100.
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo relator?
Em 2023, com 56,5 anos e 26,5 anos de contribuição 
Receberia R$ 2.145
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela 
regra atual?
Em 2027, com 60 anos e 30 anos de contribuição.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pelo 
relator?
Em 2037, com 70 anos.
EXEMPLO 6
  • Homem, 53 anos
  • Tempo atual de contribuição: 23 anos
  • Valor integral do benefício pela renda média: R$ 4.000
Quando pode se aposentar pela regra atual?
Em 2029, com 65 anos e 35 anos de contribuição. 
Receberia o valor integral (R$ 4.000) por cumprir a regra 90/100.
Quando pode se aposentar pela regra proposta pelo 
relator?
Em 2029, com 65 anos e 35 anos de contribuição. 
Receberia R$ 3.500 (coeficiente de 87,5% nos moldes
da regra de transição).
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
atual?
Em 2029, com 65 anos.
Quando se aposenta com o valor de benefício integral pela regra 
proposta pelo relator?
Em 2034, com 70 anos.

* Fontes: João Badari, advogado especialista em Direito Previdenciário
Jane Berwager, presidente do Instituto Brasileiro de Direito 
Previdenciário (IBDP)

** Cálculos levaram em consideração a fórmula vigente 85/95 
(90/100 para a partir de 2026), o fator previdenciário em vigor, 
além da hipótese de contribuição ininterrupta a partir de 2017.

*** Os advogados destacam que essas são apenas simulações 
e que outros fatores podem influenciar no cálculo individual de 
cada aposentadoria


Fonte: g1.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário